Semana da Internet Segura: Sejus convida especialistas para orientar adolescentes e famílias

“Um dia, quando postei uma foto na rede social, um desconhecido fez elogios sobre o meu corpo que me deixaram desconfortável e com vergonha. Eu não o respondi nem comentei nada, mesmo assim ele não parou”. Essa é mais uma história de assédio virtual, e aconteceu com a adolescente Yhanne, de 14 anos, que após passar por essa experiência aprendeu uma lição: “As coisas só se resolveram quando decidi contar para os meus pais. Por isso, o meu conselho é: converse com os seus responsáveis, se isso estiver acontecendo com você. Isso é muito sério”, diz a estudante.

Para orientar outros adolescentes e suas famílias a se protegerem dos riscos presentes na web, a Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus) promove a Semana da Internet Segura, que começou nesta segunda-feira (8) e segue até sexta-feira (12). Com o tema “Os perigos são reais no mundo virtual. Os cuidados começam na infância”, a ação reuniu diversos especialistas no tema, que trouxeram dicas e orientações para que crianças e adolescentes possam navegar com segurança e aproveitar todas as vantagens das tecnologias. Os vídeos serão disponibilizados na Escola Sejus, no endereço https://escola.sejus.df.gov.br.

“A Internet é um espaço de diversão, conhecimento e interação. Não podemos impedir que nossas crianças e adolescentes tenham acesso a todas as vantagens que esse mundo virtual oferece. O nosso papel é garantir o uso seguro e responsável das tecnologias. Por isso, estamos promovendo essa campanha e esperamos ajudar as famílias. A informação é a melhor prevenção”, explica a secretária de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani.

O diálogo e o acompanhamento familiar também são ferramentas essenciais na segurança dos nossos jovens internautas, como lembra a subsecretária de Políticas para Crianças e Adolescentes da Sejus, Fabiana Gadelha. “Você deixaria seu filho ou sua filha sozinha numa praça distante e desconhecida? Provavelmente, a resposta seria não. A internet é uma importante ferramenta de estudo, entretenimento e interação, mas ainda é um espaço com muitos perigos e, por isso, precisamos conversar com nossas crianças e adolescentes sobre os riscos da navegação virtual. Acompanhe, dialogue, interaja, monitore o uso da rede. Aprendam juntos a navegar com segurança”, completa.

A ação é realizada em parceria com o Instituto Alana, a ChildHool Brasil, a SaferNet, o Intervozes e o Instituto Beta: Internet & Democracia (IBIDEM). Também conta com o apoio do Comitê Consultivo de Adolescentes, vinculado ao Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente (CDCA-DF).

Marina Meira, advogada do programa Criança e Consumo, do Instituto Alana

Rodrigo Nejm – Diretor de Educação da SaferNet Brasil. Doutor em psicologia social e pesquisador pós­-doutorando na área de interações sociais e privacidade nos ambientes digitais na Pós­-Graduação em Psicologia da UFBA e membro do Grupo de Pesquisa em Interações, Tecnologias e Sociedade (GITS/UFBA). Membro do Grupo de especialistas das pesquisas TIC Kids Online e TIC Educação do CETIC.br/NIC.br.

Paulo Rená da Silva Santarém – Ativista fundador do Instituto Beta: Internet & Democracia (IBIDEM). MSc. Pesquisador (Cultura Digital & Democracia) e professor da Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais (CEUB). Mestre em Direito, Estado e Constituição (UnB). Foi gestor do processo de elaboração coletiva do Marco Civil (Ministério da Justiça). Ativista fundador do Instituto Beta: Internet & Democracia, ONG integrante da Coalizão Direitos na Rede.

Itamar B Goncalves: Gerente de Advocacy – Childhood Brasil. Geógrafo , formado pela USP e Pós Graduado na pela USP , Psicologia – tema Violência Doméstica contra Crianças e Adokescentes. Atuando na área da criança e adolescente desde 1987.

Marina Pita : Jornalista, integrante do Coletivo Intervozes, formada em comunicação social pela PUC-SP, pós graduanda em direitos digitais e mestranda em comunicação e poder na UNB.

Encerramento da semana Internet Segura